Conheça a Vereança eleita no Pleito 2020.

31 cadeiras estiveram em disputa para a Câmara Municipal de São Luís.

CHICO CARVALHO - PSL

Chico Carvalho acumula 32 anos consecutivos como vereador na câmara municipal de São Luís. Ele foi eleito nos pleitos de 1988, 1992, 1996, 2000, 2004, 2008, 2012, 2016 e agora em 2020 (quando completará, ao fim do mandato, 36 anos como vereador)

Como presidente do PSL, Chico esteve envolvido em uma investigação do Ministério Público Eleitoral sobre mulheres terem sido usadas como candidatas laranjas do PSL, nas eleições de 2018, para recebimento de dinheiro público.

Em 2017, propôs o projeto de lei Nº 113/2017, que "institui, no âmbito do sistema de ensino do município de São Luís, o programa Escola Sem Partido" que foi arquivado pela repercussão negativa que obteve

Concorrendo ao seu nono mandato não declarou os bens pessoais ao TSE, como vem fazendo desde 2004.

Em 2020, recebeu R$ 110.000,00 de verba para a campanha, da qual. Foram gastos R$ 51.517,50, foi eleito com 5.221 votos válido.

BATISTA MATOS - PATRIOTA

Batista Matos foi eleito pela primeira vez em 2020, recebeu 2.506 votos, segundo dados oficiais do TSE, declarou R$ 90.000,00 em bens (um veículo). O valor arrecadado para a campanha foi de R$ 61.400,00.

Militante nos movimentos comunitários e religiosos ligados a defesa da criança, Batista Matos foi vice-presidente do Conselho Municipal da Criança e Adolescente (CMDCA) e tem atuação na região da Madre Deus, em São Luís.

Batista Matos foi, também, secretário de comunicação da Prefeitura de São Luís, no primeiro mandato (2012-2016) do atual prefeito Edivaldo Holanda (PDT) e secretário adjunto de esporte, na gestão do ex-prefeito João Castelo (PSDB).

SILVANA NOELY - PTB

Silvana Noely de Sousa Gomes, 40 anos, é natural de São Luís, e atua como Administradora e Diretora Artística da Companhia Ateliê. Ela candidatou-se pela primeira vez a uma eleição pelo Partido Trabalhista Brasileiro (PTB), sendo eleita pelo quociente partidário. Eleita com 2.913 votos.

Não declarou bens próprios ao TSE e arrecadou R$ 103.320,00 em verba para a campanha, dos quais gastou R$ 67.783,00.

Em seu instagram, destaca-se a campanha que realizou por bairros como Liberdade, Rio Anil, Cohatrac, João Paulo, Sá Viana, Quebra Pote, entre outros. Suas principais pautas de atuação propostas para a vereança são nos campos da arte, cultura e do direito das mulheres.

COLETIVO NÓS - PT

Criado por militantes do PT (Partido dos Trabalhadores), o Coletivo Nós é formado por seis membros residentes de bairros da zona rural e da periferia de São Luís.

O coletivo é formado por: Jhonatan Soares, Flávia Almeida Reis, Delmar Matias, Eunice Costa, Raimunda Oliveira e Eni Ribeiro.

O Coletivo Nós foi o primeiro mandato coletivo eleito no Maranhão, com 2.110 votos, de acordo com dados oficiais do TSE, não há nenhum bem declarado pelo coletivo. O valor arrecadado para a campanha foi de R$ 56.773,69 - do total, foram gastos R$ 12.879,80.

Em seu perfil no Instagram, o coletivo apresenta propostas relacionadas ao plano diretor de São Luís, acesso à água, saneamento básico, saúde e educação.

MARLON BOTÃO - PSB

Carlos Marlon de Sousa Botão Filho, de 20 anos, candidatou-se pela primeira vez ao pleito municipal em São Luís, sendo eleito pelo Partido Socialista Brasileiro - PSB. Marlon é filho do atual Secretário de Cultura do Município, Marlon Botão.

Marlon não declarou bens próprios e recebeu R$ 8.710,00 para realização da campanha. O gasto dessa verba não foi informada ao TSE, recebeu 2.013 votos.

Como um dos candidatos mais novos do pleito e sem carreira anterior na política, Marlon apostou em um discurso de trabalhar pelo certo, prometendo fazer uso correto da verba pública, conforme destaque em matéria do Daniel Matos.

KARLA SARNEY - PSD

Karla Sarney recebeu 2.594 votos ,declarou ainda como bem único o carro Mitsubish agora no valor de R$ 107.761,00. Arrecadou R$ 78.177,00 de verba para a campanha, dos quais gastou R$ 58.872,35.

Karla Sarney é advogada, especialista em Direito Tributário e, conforme descrição em seu perfil de instagram é “engajada em causas sociais e direitos das mulheres”.

Sobrinha do ex-presidente José Sarney, candidatou-se pela terceira vez a uma disputa eleitoral, dessa vez pelo Partido Social Democrático - PSD.

Durante a campanha eleitoral deste ano, ela destacou, em entrevista concedida à Rádio Mirante, os projetos Reconstruir e Mulheres de Verdade, dos quais participa.

THYAGO FREITAS - DC


Thyago Henrique Freitas Santana tem 31 anos e foi eleito vereador pela primeira vez em São Luís pelo Democracia Cristã (DC), com 5.082 votos.

Declarou o valor de R$ 4.082.943,57 como bens. Recebeu R$ 101.400,00 de verba arrecadada para trabalhar na eleição (destes, R$ 39.381,20 foram gastos).


Thyago tem em seu histórico pessoal a atuação em causas sociais como a distribuição de cestas básicas que realizou durante a pandemia.

BETO CASTRO - AVANTE

Com 5.885 votos, foi reeleito pela terceira vez para a Câmara Municipal de São Luís - no total, serão 12 anos como vereador.

De acordo com dados oficiais do TSE, não há nenhum bem declarado pelo vereador em 2020 e nenhum gasto registrado. Em 2012, declarou o patrimônio de um veículo - desde as eleições de 2016, o vereador não declara seus bens ao TSE. O valor arrecadado para a campanha de 2020 foi de R$ 15.000,00 (destes, não constam gastos).

Em setembro de 2013, Beto Castro teve o mandato cassado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MA). Beto Castro havia sido acusado pelo vereador Paulo Roberto Pinto (PHS) - conhecido por Carioca -, suplente na Câmara dos Vereadores, de usar duas identidades com nomes diferentes nas eleições de 2012.

Por ordem da juíza Luzia Nepomucena, titular da 3ª Zona Eleitoral de São Luís, o vereador obteve uma liminar que assegurava sua permanência na Câmara até o julgamento de seu processo pelo TRE.

ALDIR JÚNIOR - PL


Aldir Júnior foi reeleito com 4.855 votos , declarou R$ 1.076.666,00 de bens pessoais e arrecadou R$ R$ 120.000,00 em recursos para a campanha, destes não existe prestação de contas no site oficial do TSE

Aldir Júnior iniciou no âmbito político com 16 anos, quando se filiou ao Partido da República (PR). Foi coordenador de campanha do ex-prefeito de Maranhãozinho e deputado estadual Josimar de Maranhãozinho.

Entre suas ações, citamos alguns projetos de lei aprovados relacionados à cultura:

a Lei Nº 6.465/2019, que estabelece o prazo de até 30 dias após o encerramento do Carnaval e São João para pagamento das apresentações artísticas pelos órgãos da Administração Pública Municipal;

a Lei Nº 6.475/2019, que concede 1% da capacidade máxima de público em eventos culturais de São Luís para gratuidade de pessoas com necessidades especiais;

UMBELINO JÚNIOR - PRTB

Umbelino Júnior foi reeleito com 4.755 votos, ao TSE, declarou R$ 1.680.164,86 de bens e arrecadou R$ 46.650,00 em recursos para a campanha (destes, R$ 12.077,00 foram gastos).

Em sua vida profissional, atuou na Vale do Rio Doce, Secretaria de Administração de São Luís, Tribunal de Contas da União, além de ter sido assessor no Palácio dos Leões.

Entre seus feitos como vereador:

- aprovou o projeto de lei nº 044/2019, que autoriza o agendamento telefônico de consultas para pacientes com deficiência ou mobilidade reduzida, idosos, gestantes e lactantes nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) da capital maranhense.

- aprovou o projeto de lei nº 043/2019, que determina que mercados, supermercados, hipermercados e estabelecimentos similares, que mantém mais de três caixas registradoras para atendimento ao público, deverão destinar um espaço único e específico para produtos alimentícios recomendados para pessoas com diabetes, intolerância à lactose e doença celíaca.

DR. GUTEMBERG - PSC

Dr. Gutemberg recebeu 3.480 votos, eleito para seu quinto mandato consecutivo, tem 16 anos de atuação na Câmara Municipal de São Luís, ainda que tenha tirado licença em alguns períodos.

Declarou R$ 472.373,80 de bens e arrecadou R$ 226.617,07 em recursos para sua campanha (destes, R$ 108.167,45 foram gastos).

Para além da carreira na Câmara Municipal, Dr Gutemberg assumiu, em 2009, a Secretaria de Saúde do Município na gestão João Castelo (2009-2011), tendo uma administração cercada de polêmicas. Uma delas foi o fato de o secretário ter sido detido em 2011 por não cumprir uma ordem judicial sobre fornecimento de medicamentos a uma criança portadora de doença crônica.

Outra ocorrência sobre sua gestão no executivo municipal é que, em 2017, ele teve seus bens bloqueados pelo Ministério Público Estadual em função do mal uso de verbas públicas durante o período em que esteve à frente da SEMUS.

DANIEL OLIVERA - PL

Daniel Fernandes de Oliveira, tem 27 anos, e uma carreira recente na política, com ações desenvolvidas, ao longo de sete anos, em comunidades do Polo Coroadinho em São Luis, foi eleito com 2.890 votos.

De acordo com dados oficiais do TSE, não há nenhum bem declarado pelo vereador. O valor arrecadado para a campanha foi de R$ 25.000,00 - do total, foram gastos R$ 24.964,20, o equivalente a 99.8568% do total.

Em entrevista à Rádio Nova FM, em setembro deste ano (publicado em seu Instagram), Daniel Oliveira afirma que a sua gestão focará na educação básica, em políticas públicas e em investimentos na área do esporte.

Siga nos as braba e os brabo!​

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco
  • Twitter - Círculo Branco
  • YouTube - Círculo Branco

Os membros da equipe do Rumbora Marocar estão disponíveis para contato todos os dias (inclusive aos finais de semana) neste período eleitoral

 

ESCREVA PARA NÓS:​

reocupa@gmail.​com