top of page
Buscar

Duarte Junior


Declaração


* Checagem realizada com a contribuição de Sofia Zagallo, cientista ambiental com mestrado em desenvolvimento sustentável.

Em entrevista realizada na TV Mirante, no programa JMTV 2, dia 24 de novembro, aos 00’ 03’’ 24’’; o candidato Duarte afirmou que: “de acordo com o censo, 33% dos domicílios em São Luís não têm saneamento básico” Nós fomos marocar.



Verificamos


A fala do candidato sobre o saneamento básico na ilha é bem exagerada! De acordo com o último Censo Demográfico do IBGE, datado de 2010, São Luís possuía 53,5% dos domicílios com saneamento considerado adequado, 42,6% semi-adequado e 3,9% inadequados.


O Censo considera com saneamento adequado a residência que possui abastecimento de água por rede geral, esgotamento sanitário por rede geral (CAEMA) ou fossa séptica e lixo coletado diretamente ou indiretamente.


O saneamento semi-adequado é aquele que possui pelo menos uma forma de saneamento considerada adequada; e os inadequados - aqui entram os domicílios “sem saneamento básico”, como citou o candidato - são aqueles que não possuem nenhuma forma de saneamento. O esgotamento sanitário na forma de fossa rudimentar, vala, rio ou mar ou outros escoadouros não são considerados adequados.


Os dados mais recentes sobre esgoto e água em São Luís são do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS), de 2018, mas eles dizem respeito somente à população atendida pela CAEMA - portanto, são insuficientes para traçar um panorama geral da cidade, uma vez que pessoas que têm fossas sépticas, independentes da rede pública, também são consideradas com o esgotamento adequado. O levantamento mostra que, no ano em questão, 82,02% da população tinha abastecimento de água e 48,6% eram atendidas pela Companhia de Saneamento.

Gráficos retirados do Diagnóstico de serviços de água e Esgoto da SNIS. Veja o relatório completo AQUI.


O dado que mais se aproxima da fala de Duarte Júnior é do Atlas Esgotos, da Agência Nacional de Águas, coletado em 2013. O documento diz que 32,48% da população de São Luís não possui coleta ou tratamento de esgoto. Entretanto, este dado diz respeito somente ao esgotamento, ignorando que o conceito de saneamento básico incorpora água, esgoto, drenagem e resíduos sólidos (lixo).


Então, falar que “33% da população não tem saneamento básico” corresponde a dizer que essa parcela não possui nenhum destes quatro, o que não é realidade.

Gráfico retirado do Atlas Esgostos da Agência Nacional de Águas. Veja o relatório completo AQUI.


Assim, o candidato recebe nosso selo do Rumbora Marocar: Esparroso.Exagerado=

A informação está no caminho correto, mas houve exagero de mais de 10% e de menos de 100% frente ao total real.


Versão do Candidato


Rumbora Marocar entrou em contato com a assessoria de comunicação do candidato, mas até a veiculação desta checagem, não obtivemos resposta. Caso haja alguma manifestação futura, a mesma será disponibilizada por aqui.

コメント


bottom of page